notícias musicais

top 13 artistas

  1. Racionais Mc's
  2. Flamengo
  3. Tribo da Periferia
  4. Raul Seixas
  5. Católicas
  6. Vanilda Bordieri
  7. Djavan
  8. Raça Negra
  9. Luiz Gonzaga
  10. Belo
  11. Xuxa
  12. Rozeane Ribeiro
  13. Robson Biollo

top 13 musicas

  1. Gritos da Torcida
  2. Aloha, e Komo Mai
  3. Jesus Chorou
  4. Da Ponte Pra Cá
  5. Negro Drama
  6. Se É Pra Chorar Eu Choro
  7. Sinto a Sua Falta
  8. Tô Brisando Em Você
  9. Monstros
  10. Eu Vou Te Buscar (part. Gusttavo Lima)
  11. Ampulheta
  12. Sobrenatural
  13. Te Amo Disgraça
Confira a Letra Quanto Pesa

Ordem Natural

Quanto Pesa

Brutos vieram aqui e não quiseram paz
Muitos tiveram aqui e só quiseram mais
Lutos me levam ali a andar pelo cais
Sente o peso do ar
Mesmo sendo sujo e obeso é o que me faz continuar
Nesse mundo velho e confuso
Que a qualquer hora pode acabar
Deixando o nada como tudo
Como todos, menos Deus a fonte de esperança
Rezo não só pelos meus, começar pelas crianças
Junta tudo o que é seu, até o que menospreza
Bota tudo na balança, neguinho
E me responde quanto pesa

Quanto pesa?
O barulho e o lixo da cidade
Quanto pesa?
O orgulho e o bicho da vaidade
Quanto pesa?
O ofício, o vício, a idade
Quanto pesa?
O amor, o rancor, a saudade
Todos os sentidos de dentro pra fora
Tem o seu motivo, não depois, agora
Se é riso, ria
Se é choro, chora
Só um mandamento o espírito vigora
O que vem de fora não aflora em mim
Vida aqui dentro até depois do fim
Os dias passados me forjaram assim
Cada dia bom valem mil ruins

No apagar da luz
O polegar num gesto amigável conduz
A esperança que no dia se mostra estável
No outro se reduz a desconfiança
Na balança quanto pesa?
A mistura do ódio e do amor, do frio, do calor, da dor, do fervor
Com o sangue incolor que escorre
Das cenas de horror que correm como vírus
Sem direção como tiros
Me apego aos hinos e linhas que me confortam
Enquanto seres se entortam
Não se importam com almas que se teletransportam
Gozam hoje e abortam no dia seguinte
Com todo o requinte
Me jogo faltando vinte lá fora
Garoa fina meia estima, bermuda, chinelo
Moleton de capuz
No prejuízo do siso que é só pus e amoxicilina
Entre buzinas e sinas no cada um com sua cruz
Cruzo esquinas
Me recluso em rimas, versos, prosas
Me curvo em réguas rosas que me cobrirão
No hall da paixão, pela vida em questão
Rente ao chão sem ladrilhos escrevo
São aos filhos que virão
E feito leões protegerão os portões
Dando outra direção aos trilhos, não aos vagões
Eu vivo da direção dos trovões que cortam o céu
Ao contato do punho com a caneta e papel

Dê a Deus o que é de Deus, a Cesar o que é de Cesar
O filho que se perdeu, carrego através da reza
O dia que amanheceu, me leva e o que me lesa
É saber o quanto pesa

Saio das ruínas em chamas em quanto todos
Carregam suas cruzes
Uma legião perdida na escuridão das luzes que
Reluzem opacas
Ao tempo que vejo punho serrados quebrarem
Facas
Rostos marcados suando sangue, omissão!
Quando olho cai mais um, é como bang bang
A TV é de verdade como Tang
O peso de um tiro, o último suspiro
Sob o peso da verdade só por isso não conspiro
Respiro veneno, mas devolvo soro
Pra mundo pequeno trabalho e agouro
No plano terreno forte como um touro
Porém não de chifres
Ainda assim querem meu couro
Prata, pedras, ouro, cobre
E a vida ingrata dada aos pobres
Porém nobres de nascença
Eu vou torcer pra que a nossa causa vença!
Então siga sempre em frente, faça o que se deve
Carregar minha cruz só me deixa mais leve
Cuido do meu tempo, a passagem é breve
Saio da escuridão com os pensamentos claros
Como neve
Folhas do caderno quando arrancadas morrem
Ganja nos meus versos pra que meus
Neurônios torrem e transcendam
Fôlego e mato pra que as idéias ascendam
E luz divina pra todos que me entendam!

Tracker